sábado, 4 de abril de 2009

Mandrágora Macho Versus Mandrágora Fêmea

Mandrágora Macho Versus Mandrágora Fêmea



*TÓPICO ELABORADO INICIALMENTE PARA A COMUNIDADE SAINT SEIYA FOR ETERNITY! LINK DA COMUNIDADE:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=32724900



Há algum tempo,durante eu recrutamento para um posto na Anarcher,fiz dois tópicos cujo tema era o espectro "Queen de Alraune". Hoje,passado algum tempo,conversas vão,conversas vem e minha cabeça de novo se entope de encucações....Já que criei a obsessão,acho melhor dissecar o bicho,ou os bichos,de uma só vez!


Sobre mandrágoras então, pensemos:Dois seres sobrenaturais convivendo numa única estrutura,ou melhor,compartilhando-a.


Ainda que a origem seja a mesma,nos deparamos com o seguinte esquema ambíguo:


Ambos os monstros,pois sim são dois,apesar de compartilharem o mesmo nome,tanto faz se Alraune ou Mandrake,tanto faz,ambas tem mesmo significado que é mandrágora,mas o indivíduos são diferentes entre si.


A mandrágora "Alraune" é concebida como uma flor ou fruto que existiria na parte de cima da estrutura,florescendo entre folhas afiadíssimas.Deste monstro pois,como informação,posso afirmar que se trata da polaridade feminina da Mandrágora.

Ao passo que, a mandrágora "Mandrake",desta vez a raiz de excêntrico aspecto bifurcado e aparência um tanto humanóide ,esta parte sim reteria a parte masculina da Mandrágora em si.


Oras,se ambas as criaturas a mesma origem e coexistem na mesma estrutura,o que então as diferencia entre si,senão as polaridades,que mais há para diferencia-las? Porquê não tratá-las como se fossem uma única criatura,apesar dessa ser bipolar,hermafrodita?


Relembrando a historinha que um dia a Titia lhes contou,Mandrágoras costumam germinar em terras qe tenham servido como local para a execução de pessoas não muito inocentes,sabe como é...Estas terras seriam então irrigadas por sangue e esperma desses condenados...


Minha teoria para tentar explicar essa Salada do Capiroto consiste em explicar essa divisão mediante a separação e atribuição dos compostos orgânicos (esperma e sangue) para a concepção de cada um dos monstros.


A polaridade feminina teria se originado a partir do sangue. O fato desse tipo de Mandrágora representar literalmente um pequeno demônio de aparência feminina,e dos que enfeitiçam a vítima masculina com muito sexo,reforça mais ainda esta impressão. Não tem elemento mais feminino do que o sangue.


Apesar de representar diretamente a vida,há o seu significado oculto,quase maldito.Os homens sempre tiveram assombro com relação às mulheres,afinal,que ser é este que sangra sem estar ferido de morte? O sexo feminino [orgão mesmo] representa algo demoníaco,pois se sangra e não leva à morte,como é capaz de expelir a vida? Porque a vida se origina em algo que na verdade não é natural? Esse "medinho básico" tomou proporções realmente estratoféricas com o advento das religiões patriarcais.


Vejamos um exemplo clássico da Literatura Judaico-Cristã:


Lilith,a primera mulher de Adão,enquanto vivia com ele no Paraíso era uma criatura inofensiva,porém quando decidiu que também queria mandar no babado e o cara não aprovou ,ela automaticamente se amaldiçoou além de se mandar para o deserto para passar o rodo em tudo quanto fosse demônio,portanto tornou-se um demônio pavoroso,principalmente quando começou a expelir sague,a prova de que ela não tinha parte com o divino,virando assim a mãe dos demônios....


A polaridade masculina germinou a partir do esperma,que,óbvio,é um elemento masculino. No caso deste,as implições demoníacas já não são tão pesadas assim,ainda que esas raízes possam ser usadas com finalidades nem um pouco ortodoxas. Sua utilização por parte das bruxas,que mantiham relações sexuais com essas raízes quando queriam procriar sem ter que manter relacionamentos afetivos,reforçam esta minha impressão.


Esperma,literalmente,é a semente que vai dar formato a algo indefinido,portanto é mais que embrião,é nutriente,algo que já vem completo,mas que precisa apenas de um casulo para que possa se apossar,habitar,completar a incubação e assim se exteriorizar. É a vida em sua mais alta concentração, e é algo natural,pois ao contrário da menstruação,o ato de ejacular não leva em momento algum a uma relação com a morte,é sempre vida,tanto que os espermatozóides correm livremente,o passo que o óvulo além do sangue, o óvulo está morto,não tem serventia ao ser expelido,o que significa que supostamente os homens, sim,estes tem parte com o divino.


Ainda complementando lembrando daquele lance de religiões patriarcais:Quanto ao formato humanóide,é interessante observar que durante o apogeu da Alquimia, rudimento de ciência totalmente baseada em crenças de ordem sobrenatural,homens como Paracelso,afirmavam que o esquema estrutural de um espermatozóide consistia basicamente num pequeno ser involto por um invólucro portando um flagelo que o levaria ao local onde completaria o seu desenvolvimento.

Tal ser que possuiria a maior parte de seu corpo formado por sua cabeça,local onde estaria localizado todo o "nutriente" necessário para o seu desenvolvimeno pleno,era denominado homúnculo.Interessante,né?

Aí está! Esses dois princípios, o masculino e o feminino cada um é representado por um elemento inerente ao organismo humano sendo que porém,enquanto possuir um significa o status de que estamos vivos,e se perdemos é porque podemos morrer,logo é um elemento instável,o sangue é ligado ao sexo feminino considerado igualmente instável e não natural,do outro elemento todos nós chegamos à vida,pois é ele que fecunda além de determinar que sexo nós teremos,o esperma é um elemento estável,constantemente vivo e natural.


Espero que gostem!
Postar um comentário